ANTONIO VAZ LEMES

Considerado "Um Pollini [Maurizio] Latino Americano" pela revista inglesa Gramophone,  o paulistano Antonio Vaz Lemes é detentor de sólida formação musical tanto como instrumentista clássico como popular, tendo estudado em prestigiosas instituições brasileiras, tais como o Conservatório de Tatuí, o Instituto de Artes da Unesp e a EMESP Tom Jobim. Na França, além de um período fértil de aulas com Noël Lee, frequentou regularmente o Conservatoire Américain de Fontainebleau e a Académie Francis Poulenc. Entre aulas e masterclasses, recebeu a orientação de mestres como Phillipe Entremont, Alicia de Larrocha, Jean-Phillipe Collard, Christian Ivaldi, Nahin Marum e Gilberto Tinetti.

Esteve frente à orquestras como a do Festival Eleazar de Carvalho, Sinfônicas de Campo Grande, Paraíba, São Caetano do Sul, Tatuí e Sergipe.

Ao redor do repertório camerístico, é membro-fundador da Sociedade PIANOSOFIA, realizando diversos trabalhos junto a importantes nomes da cena musical clássica brasileira. Ao lado do cantor Edson Cordeiro, realizou temporada de mais de 100 shows na Alemanha, e gravou o elogiado álbum Contratenor, que em 2006 foi indicado ao Latin Grammy Awards na categoria Melhor Álbum Clássico.

Com o apoio da Capes, defendeu no mestrado em performance a pesquisa Dedilhado pianístico e suas relações com princípios técnicos e musicais, pelo Instituto de Artes da Unesp.

Seu primeiro álbum solo, Sonata Brasileira, é  o primeiro album-aplicativo lançado na  música clássica mundial. Amplamente aclamado pela mídia nacional e internacional,  registra tanto sua técnica e musicalidade como seus interesses e inquietações artísticas.

Residente em São Paulo, Antonio Vaz Lemes é professor desde 2005 da Escola Municipal de Iniciação Artística (EMIA), onde desenvolve intensa atividade pedagógica na iniciação pianística infantil.